Como desenvolver inteligência emocional no trabalho? 

Você já deve ter ouvido falar sobre Inteligência Emocional, é um termo bastante utilizado em diversos contextos. Mas o que significa exatamente? E porque é especialmente útil no ambiente de trabalho? Vem com a gente para descobrir.

Afinal, o que é Inteligência Emocional?

Quem abordou e estudou o tema pela primeira vez foi o escritor, psicólogo e PhD da Universidade de Harvard Daniel Goleman. Em 1995 ele escreveu um livro sobre o tema, e definiu este tipo de inteligência como a capacidade que um indivíduo tem de gerenciar as suas emoções, ou seja, a capacidade de reconhecer e controlar o que se sente de tal forma que as suas emoções não interfiram negativamente no seu dia a dia.

Porque desenvolver inteligência emocional no trabalho?

Por mais que sejamos qualificados em nossa área de atuação, é impossível não ser afetado por fatores externos no trabalho. Reuniões desafiadoras, conflitos com colegas, mudanças repentinas, dar e receber feedbacks são apenas alguns exemplos de problemas que fogem ao nosso controle.

Por isso, quando desenvolvemos nossa inteligência emocional, no tornamos profissionais bem mais preparados para lidar com todas essas situações. Como consequência, também melhoramos nossa qualidade de vida, uma vez que aprendemos a distinguir (e separar emocionalmente) nossa vida pessoal da vida profissional.

Os 5 pilares da Inteligência Emocional

Segundo Goleman, o pai da inteligência emocional, existem 5 pilares fundamentais: reconhecer as suas emoções, controlar as suas emoções, automotivação, empatia e habilidades interpessoais. Vamos ver cada uma delas, e como se aplicam no ambiente de trabalho.

1. Reconhecer as suas emoções

Ter consciência sobre o que você está sentindo, no momento em que as emoções afloram. Ser capaz de identificar claramente o sentimento, pois muitas vezes pode ser difícil admitir que sentimos algo (ex: inveja, raiva, ciúme).

No trabalho:

Sempre que houver uma divergência de opiniões, além de focar no problema, atente-se para o que está sentindo. Seja honesto consigo mesmo para identificar, e tente entender o motivo do sentimento. Raiva pode vir da insegurança, e inveja pode derivar de uma insatisfação com o próprio trabalho, por exemplo.

2. Controlar as suas emoções

Uma vez identificados seus sentimentos, é preciso saber controla-los. Sabe aquela pessoa que fala “na lata” e que geralmente ofende as pessoas? Ela com certeza precisa melhorar nesse pilar. Não é porque sentimos algo que nós devemos agir de acordo.

No trabalho:

No momento em que surgem os sentimentos negativos, é preciso desenvolver a capacidade de esfriar a cabeça. Ou seja, espere estar mais calmo antes de responder ou criticar seus colegas. Prever situações em que você pode ficar com mais raiva ou estresse também ajuda muito a equilibrar a situação. Exemplo: o que te deixa mais estressado? Reuniões longas? Muitos e-mails para responder? Organizar seu tempo de trabalho e definir um horário especifico para essas tarefas pode aliviar bastante do seu estresse.

3. Automotivação

Essa é a capacidade que temos de nos manter motivados apesar dos imprevistos e dos obstáculos que aparecem em nosso caminho. Todos podemos desanimar de vez em quando, mas conseguir retomar a motivação por conta própria é o que vai nos manter no caminho que escolhemos.

No trabalho:

Esperar por um feedback positivo para ficar contente com o próprio trabalho ou sempre buscar elogios que reafirmem seus esforços são um alerta de falta de automotivação. Faça o melhor que pode, dentro de suas circunstancias, e alegre-se consigo mesmo. Reconheça suas próprias superações e elogie-se!

4. Empatia

Saber se colocar no lugar do outro e compreender o que ele está sentindo. Desenvolver a empatia te torna uma pessoa mais aberta e sensível, e por consequência, uma influência positiva para todos a sua volta.

No trabalho:

Antes de julgar ou criticar um colega, tente entender a razão para determinada atitude. Cada um enfrenta suas próprias dificuldades, e pode ser que um problema externo esteja tirando a paz de algum colega. Ou pode ser que ele esteja sendo pressionado por certo resultado. De qualquer forma, há sempre muito mais do que podemos imaginar, e ter empatia significa também manter um tom amistoso que possibilite criar laços de confiança. Como você gostaria de ser tratado em uma situação difícil? Faça da mesma forma.

5. Habilidades interpessoais

O último pilar engloba a capacidade de se criar relacionamentos saudáveis com as pessoas ao seu redor. Boa comunicação, paciência e conseguir manter um ambiente positivo são algumas habilidades fundamentais nesse pilar.

No trabalho:

Empenhe-se por uma boa comunicação no ambiente de trabalho. Fale claramente sobre suas opiniões, mas sempre com respeito. Fuja da comunicação agressiva ou passiva, pois apenas corroem times e relacionamentos. Observe e aprenda com seus colegas, cada um deles tem um perfil e necessidades diferentes. Considerar e respeitar todos os pontos de diferença contribui para um ambiente equilibrado e pacifico.

Como anda a sua Inteligência Emocional?

Assim como qualquer outra inteligência, podemos aprender e aprimorar ela ao longo da vida. Tudo que dedicamos à nossa inteligência emocional se reflete em nossa vida pessoal e também no desempenho profissional.

Algumas ferramentas que podem ajudar neste processo de autoconhecimento e auto aprimoramento são: yoga ou meditação, testes de personalidade e principalmente psicoterapia.

Se você tem o Wiipo Flex com o bolso Saúde ativo, use seu benefício para pagar consultas presenciais ou online com terapeutas ou psicólogos. E lembre-se: todo investimento em si mesmo se reflete em todos os campos da vida.