Pular para o conteúdo

Como identificar golpes digitais

Processos complexos e burocráticos hoje representam um problema para as empresas. Eles tornam o operacional mais engessado e lento, o que, por consequência, consome mais tempo e mais recursos dos times. Mesmo empresas tradicionais estão buscando uma transformação digital, ou seja, usar novas tecnologias para otimizar seus processos e fugir do prejuízo.

Neste artigo, separamos 4 tendências financeiras importantes para sua empresa ficar de olho. Vem conosco nesse breve tour rumo ao futuro!

1. Techfins e Fintechs

Os dois termos são parecidos e ambos são uma junção das palavras financial (financeiro) e technology (tecnologia). Se referem a empresas que trabalham com tecnologia e serviços financeiros, mas cada termo revela um propósito diferente.

Techfin é uma categoria de empresa que oferece soluções financeiras personalizadas a outras empresas. Já uma fintech é uma empresa de tecnologia financeira que oferece produtos e serviços digitais destinados ao usuário final. 

As duas categorias são uma tendência que continua crescendo, pois oferecem serviços mais inteligentes, automatizados e cada vez mais específicos às empresas. A Wiipo, por exemplo, é uma fintech. Nós temos serviços financeiros voltados para pessoas e empresas, e nosso objetivo é empoderá-las com processos menos burocráticos e mais lucrativos. Para conhecer todas as nossas soluções, clique aqui.

2. LGPD

A sigla corresponde a “Lei Geral de Proteção de Dados”, legislação sancionada em 2018 e que está em vigor desde setembro de 2020. Ela determina direitos, deveres e princípios que envolvem o uso de dados pessoais em solo brasileiro. Na prática, a LGPD regulamenta como as empresas devem agir em relação à coleta, tratamento e compartilhamento de dados pessoais e sensíveis.

Mas como a LGPD impacta a sua empresa? Se algum tipo de dado é captado de seus clientes – seja nome e email para uma campanha digital ou uma ficha médica detalhada – é fundamental adotar uma postura consciente e transparente. A lei exige que sejam adotados mecanismos de proteção e segurança, prevenindo vazamentos de dados e ameaças que possam vir a comprometer as informações. Também deve ser garantido aos proprietários ou titulares dos dados que eles tenham acesso e controle às suas próprias informações.

Muito além da lei, a pauta de segurança de dados é uma tendência nas culturas organizacionais. Cada vez mais usuários e clientes estão atentos e exigindo mais responsabilidade por parte das empresas. Incorpore boas práticas e ofereça confiança a todos os seus públicos.

3. Open Banking

Este é um novo modo de enxergar os clientes e seus dados financeiros e já é realidade. O objetivo é abrir o sistema financeiro para que as instituições bancárias tenham acesso aos dados dos clientes por meio do compartilhamento de dados, se assim autorizado por eles.

Exemplo: você tem uma conta com um banco há 15 anos. Por conta desse histórico de bom relacionamento com a instituição, você recebeu serviços e taxas vantajosas, alinhados ao seu perfil financeiro. Se por alguma razão você decidisse fechar a conta neste banco e abrir em outra, seu histórico de 15 anos não iria te garantir nenhum tipo de benefício diferenciado.

Agora que o Open Banking já é uma realidade, é possível conectar os dados financeiros (incluindo histórico de pagamentos e créditos adquiridos) dos clientes entre diferentes instituições financeiras. Leia mais sobre os benefícios e características do Open Banking aqui em nosso artigo dedicado.

4. Hiperautomação

Na constante busca pela redução de recursos (materiais ou de tempo), as empresas têm investido cada vez mais na automatização de processos. A nova tendência, porém, é uma evolução para a hiperautomação, ou seja, não envolver qualquer intervenção humana.

O objetivo é otimizar ainda mais os processos operacionais da empresa, e dedicar mais energia em análises estratégicas do negócio. Para alcançar uma hiperautomação, são usados recursos como inteligência artificial, aprendizado de máquina e inteligência cognitiva.

Talvez sua empresa ainda não tenha implantado processos guiados 100% por inteligência artificial, mas bons exemplos de automação digital são: jornada de consumo do cliente, chat de atendimento inteligente, tratamento das reclamações e fluxos para geração de leads. 

___

E você, qual sua opinião sobre essas tendências financeiras? Qual delas pode beneficiar sua empresa nesse momento?

Compartilhe conosco e também com seus colegas. Lembrando que a Wiipo, como uma fintech, está aqui para otimizar os seus processos relacionados a benefícios corporativos e serviços financeiros. 🙂

Conheça todos os nossos serviços aqui e empodere o seu time.

Marcações: