Empresário: como ter um fluxo de caixa saudável em 2021

A crise causada pela pandemia da COVID-19 nos mostrou a importância da organização financeira, principalmente para empresas e empreendimentos. Um dos pilares fundamentais para se manter saudável, durante momentos iguais ao que estamos passando, é possuir um fluxo de caixa positivo.

Sabendo que esse é um grande desafio para boa parte das organizações, reunimos 06 dicas para ajudá-lo. Continue a leitura e confira!

O que é fluxo de caixa e qual a sua importância

O fluxo de caixa é o processo responsável por acompanhar a movimentação financeira de uma empresa, independente do seu porte. Afinal, desde microempreendimentos até multinacionais, todos precisamos controlar as entradas e saídas de dinheiro.

Geralmente, empresas pequenas utilizam o tradicional caderninho ou planilhas on-line. Já empresas maiores precisam adotar um sistema de gestão on-line para controlar com mais eficiência a movimentação monetária.

Esse tipo de controle financeiro possibilita à empresa planejar os próximos passos, desenvolver novas estratégias e analisar a saúde financeira da organização: atitude fundamental diante da crise econômica pela qual estamos passando.

O fluxo de caixa é composto por 04 itens:

  • Saldo inicial: corresponde à quantia que compõe o caixa da empresa, incluindo a conta bancária;
  • Entrada: é o valor obtido por meio das vendas do seu produto ou serviço e também os empréstimos realizados e doações recebidas;
  • Saída: consiste em todo dinheiro que saiu do caixa da empresa, como: compras, salários, impostos, entre outros;
  • Saldo final: é o valor que a empresa possui após arcar com todas as despesas.

Quando temos um fluxo de caixa saudável, em que o saldo é positivo, conseguimos mensurar quais ações contribuíram para esse resultado. O mesmo vale para situações em que o saldo é negativo: se possuirmos um monitoramento, é mais fácil identificar quais ações impactaram negativamente o negócio e, assim, conseguimos promover esforços para reverter o resultado o mais rápido possível.

Como ter um fluxo de caixa saudável

Agora que você já sabe o que é um fluxo de caixa e a sua importância, chegou o momento de descobrir como mantê-lo sempre saudável. Confira nossas dicas a seguir!

01. Conheça todas as suas despesas e fontes de receita

A primeira dica não poderia ser outra. Se para o controle financeiro pessoal já é fundamental conhecer sua receita e despesas, esse grau de importância fica ainda maior quando ampliamos o leque para as empresas.

Portanto, faça um levantamento de todos os gastos do seu empreendimento, incluindo despesas fixas e variáveis. Leve em consideração o salário dos funcionários, contas de água, luz, internet, aluguel, financiamento e tudo aquilo que, de alguma forma, faz o dinheiro sair da sua empresa e não oferece nenhum retorno financeiro. Assim, você conseguirá ter um controle maior sobre as saídas do caixa.

Em seguida, anote todas as fontes de receita e realize um comparativo entre as entradas e saídas do caixa. Dessa forma, conseguirá avaliar qual a quantia necessária que deve receber para não ficar com saldo negativo.

No entanto, para que essa primeira dica funcione, é fundamental que você anote todas as movimentações financeiras da empresa; desde gastos irrisórios, como o cafezinho, até contas de alto valor, como serviços ou assinaturas.

02. Estabeleça um período para controlar o fluxo de caixa

Não existe uma regra. O fluxo de caixa pode ter periodicidade diária, semanal, quinzenal ou mensal, o que  determinará o modelo do seu negócio e área de atuação.

Porém, recomendamos não estabelecer um período muito longo, pois corre-se o risco de perder o controle. Alguns especialistas sugerem um acompanhamento diário, uma vez que seria mais fácil evitar surpresas e planejar ações corretivas, se necessário.

03. Atenção ao capital de giro

De forma resumida, o capital de giro corresponde ao dinheiro reserva que a empresa necessita para manter a continuidade do empreendimento. Ele determina os valores disponíveis para que a organização cumpra com os seus deveres e realize investimentos, mesmo em situações de queda de receita.

Infelizmente, muitas empresas não possuem capital de giro suficiente para proteger o negócio em momentos de crise. Caso você se enquadre nessa situação, recomendamos analisar o seu fluxo de caixa. Não tenha receio de renegociar contratos com clientes e fornecedores; procurar por outras formas de controle financeiro e, se for preciso, cortar gastos.

Um bom capital de giro é essencial para sua empresa cumprir com as obrigações e manter-se competitiva, independente do cenário.

04. Tenha um fluxo de caixa projetado

Ter um fluxo de caixa projetado significa realizar uma estimativa de quanto a empresa  receberá e gastará em médio e longo prazo. Nas entradas, é possível estipular o valor do faturamento e recebimento de vendas realizadas a prazo. Caso você realize investimentos, também é possível incluí-los.

Já nas saídas, podem ser previstos os gastos mensais fixos, os pagamentos que serão feitos aos fornecedores e empréstimos. Ao realizar essas projeções, você conseguirá organizar as próximas etapas da empresa, analisar possíveis cortes que podem ser feitos e avaliar quais são os investimentos estratégicos.

05. Faça comparativos

Essa dica está diretamente ligada ao tópico anterior. Após realizar projeções, é muito importante comparar os resultados alcançados com o que foi projetado, tanto as entradas quanto saídas do caixa. Assim, será possível identificar os acertos, as falhas e definir medidas que mantenham o bom resultado ou que evitem que os mesmos erros se repitam.

Afinal, não adianta uma planilha cheia de números se você não analisá-los e interpretá-los a fim de melhorar sua performance.

06. Tecnologia: sua maior aliada

Por fim, mas não menos importante, temos nossa grande aliada de sempre: a tecnologia. Já comentamos que é possível desenvolver um fluxo de caixa até em uma folha de caderno. Porém, esse não é o jeito mais prático e nem o mais eficiente, principalmente se você possui o objetivo de crescer.

Nossa dica é começar utilizando planilhas on-line, como o Excel, por exemplo. Após se acostumar com o processo de anotar os dados, procure por um software especializado para automatizar essa tarefa repetitiva. Assim, poderá centralizar todas as informações importantes em um só lugar e analisá-las com mais facilidade no dia a dia.

Com essas dicas, esperamos que você consiga criar um fluxo de caixa positivo para o próximo ano e cresça cada vez mais!

Qualquer dúvida, estamos aqui.