Investimento para iniciantes: tudo o que você precisa saber para começar

Melhor do que economizar é fazer com que o seu dinheiro aumente. Para que isso aconteça, é necessário investir. No entanto, é muito comum sentir-se inseguro e não saber como começar.

Sabendo disso, separamos alguns conceitos básicos sobre o mercado financeiro e algumas dicas para quem deseja iniciar no mundo dos investimentos. Continue a leitura e comece a investir hoje mesmo!

Conceitos básicos do mercado financeiro

Antes de começar a investir, é necessário conhecer alguns conceitos básicos sobre o mercado financeiro. No começo, pode parecer que ele possui uma linguagem própria, mas com o tempo você irá se acostumar com as terminologias.

Liquidez

A liquidez corresponde à facilidade de converter bens ou ativos em dinheiro, ou seja, a facilidade em resgatar ou transferir um investimento.

Antes de aplicar seu dinheiro, é fundamental saber qual a liquidez do ativo ou título escolhido e se ele corresponde aos seus objetivos. Se você pretende ter a liberdade de retirá-lo a qualquer momento, deve optar por investimentos com alta liquidez.

Já nos investimentos de baixa liquidez, será necessário esperar um prazo pré-estabelecido para resgatar o dinheiro. Ambas as opções podem ser benéficas, dependendo do seu objetivo.

Rentabilidade

A rentabilidade corresponde ao percentual do retorno financeiro que determinado investimento oferecerá. Imagine que você investiu R$ 1.000 em um título que possui 10% de rentabilidade ao ano. Isso significa que, após esse período, você terá um total de R$1.110.

No mercado, é possível encontrar investimentos com diferentes percentuais de rentabilidade. Existem aquelas atreladas a taxas econômicas e outras baseadas na valorização de ativos.

A poupança, por exemplo, possui rentabilidade atrelada à taxa Selic. Já as ações da Bolsa de Valores variam de acordo com a valorização dos papéis, ou seja, quanto mais valorizar a ação que você comprou, mais dinheiro ganhar.

Diversificação

A diversificação consiste em uma estratégia administrativa, em que o dinheiro é aplicado em diversos investimentos em vez de apenas um. Assim, é possível diminuir os riscos e obter ganhos de várias fontes diferentes.

Relação entre risco e retorno

Essa relação é muito simples de entender. De forma geral, podemos dizer que quanto maior o risco de um investimento, maior será o retorno, ou seja, investimentos seguros apresentam uma rentabilidade baixa.

O CDB, por exemplo, é um investimento de renda fixa e que possui garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que promete total segurança de investimento. Porém, apresenta uma rentabilidade muito baixa.

Em contrapartida, temos as ações na Bolsa de Valores, que por serem um investimento de renda variável, apresentam pouca segurança. No entanto, o retorno financeiro é incomparavelmente maior.

Como começar a investir

Agora que já conhece alguns conceitos do mercado financeiro, chegou o momento de começar a investir. Entretanto, é válido ressaltar que antes de iniciar, é necessário ter um planejamento financeiro e se possível, uma reserva de emergência.

1. Defina os seus objetivos

Antes de começar a investir, é fundamental que você tenha em mente quais são os seus objetivos com o dinheiro que será proporcionado. Assim, conseguirá escolher o investimento que atende suas expectativas.

Se o objetivo for realizar um intercâmbio ou comprar um imóvel, existem investimentos que podem ser interessantes. Porém, se pretende garantir uma aposentadoria confortável ou abrir o próprio negócio, as opções são diferentes.

Para manter-se motivado, os especialistas recomendam dividir os objetivos em três categorias de tempo:

– Investimento de curto prazo: apresentam até um ano de duração. Portanto, recomendam-se investimentos seguros e com liquidez diária.

– Investimento de médio prazo: duração de 01 a 05 anos. Nesse caso, é possível investir em opções mais arriscadas e com baixa volatilidade, já que não precisará do dinheiro em um curto prazo.

– Investimento de longo prazo: são as aplicações com prazo superior a cinco anos. Aqui, é o momento ideal para investir em ativos mais longos e com maior volatilidade, o que significa um risco maior, porém com rentabilidade tão grande quanto.

2. Descubra o seu perfil de investidor ou investidora

O perfil investidor corresponde às suas características e atitudes em relação ao dinheiro e como você lida com os riscos de perdê-lo. Com esse perfil definido, é possível escolher os investimentos adequados para cada pessoa.

Geralmente, essa análise é feita pelas instituições financeiras através de um questionário. Com as respostas, é possível obter três perfis diferentes:

Conservadores: investidores que possuem baixa tolerância e priorizam investimentos com liquidez.
Moderados: buscam proteger o capital, porém estão mais dispostos a investir parte dos recursos em produtos com algum nível de risco.
Agressivos: toleram o risco de perder dinheiro e aceitam a possibilidade de ter perdas, se isso representar a chance de obter maiores retornos.


3. Conheça os tipos de investimento

O mercado financeiro oferece diversos tipos de investimentos, cada um com características específicas. De modo geral, eles são classificados em:

Renda fixa

São os investimentos em que a remuneração é definida desde o momento da aplicação. Nessa modalidade, você empresta dinheiro para o governo ou para empresas e recebe futuramente o valor emprestado com juros.

Esse valor que você receberá em troca pode ser prefixado ou pós-fixado. Na primeira opção, a rentabilidade é fixa, como por exemplo 10% ao ano. Já na segunda modalidade, o rendimento está atrelado a um indexador da economia, como a taxa Selic. Portanto, os rendimentos poderão variar de acordo com esse índice.

Os investimentos de renda fixa são as melhores opções para quem está começando. Entre eles temos: Tesouro Direto, CDB e Fundo de Investimentos.

Renda Variável

A renda variável corresponde aos investimentos na Bolsa de Valores. Com eles, você não possui um rendimento fixo, ou seja, não é garantia que você terá algum retorno futuro.

A taxa de rentabilidade está atrelada às variações do mercado financeiro. Conforme as notícias veiculadas na mídia e os balanços feitos pelas companhias, a Bolsa de Valores terá alterações no valor de suas ações.

Por esse motivo, os investimentos em renda variável são mais arriscados e não costumam ser boas opções para iniciantes.

Após essas dicas, esperamos que você se sinta mais seguro para começar a investir e estudar sobre o assunto!