Os seus clientes podem não ser mais os mesmos…

  • por

Se essa frase do título fosse dita há uns 30 anos, poderia se referir ao fato dos seus clientes estarem envelhecendo e os filhos deles comprando com você. Sim, de fato, negócios no auge na era industrial e, até antes disso, se perpetuavam atendendo gerações da mesma família.

A fidelização em relação a marca era algo perseguido pelos grandes profissionais de marketing mundo a fora, principalmente nas grandes sociedades de consumo. Mas, silenciosamente, o advento do surgimento dos computadores e consequentemente da internet, começou a criar uma revolução inicialmente silenciosa e que tomou proporções que só existiam na ficção.

Essa transformação tecnológica se deu por três fatores de crescimento: a capacidade de processamento dos computadores, a dimensão das redes de computadores e a largura da banda larga. Ano após ano, esses três fatores combinados foram gerando transformações na sociedade chegando ao que hoje chamamos de Transformação Digital.

Mas o que tem a ver esse papo de tecnologia com a introdução desse texto que fala sobre clientes? A resposta começa pela relação dos consumidores com as empresas! Vamos voltar ao começo para entender melhor.

Durante o início da era industrial, as empresas de produção em massa como Ford, Heinz, GM, Coca-Cola, entre outras, estabeleceram um modelo de relação com os clientes que eu costumo chamar de 1 pra N, ou seja, consumo de massa. E para isso, usam os meios de comunicação em massa, como: TV, Rádio e jornais de grande circulação, que durante muitos anos sempre funcionaram de forma unidirecional, ou seja, enviam a mensagem ao público com pouco ou nenhum feedback. Nesse contexto, era dada a opção de comprar ou não comprar ao cliente.

Com a disseminação da internet, das redes sociais e dos meios de comunicações digitais, essa realidade muda. As empresas mais antenadas às mudanças digitais estão aplicando grande parte do seu orçamento de comunicação, em tecnologias digitais para estabelecer uma nova forma de relacionamento com os seus clientes, que podemos chamar de N para N.

Os clientes estão organizados em redes de relacionamento e as empresas estão se inserindo nessas redes, estabelecendo sua presença digital e criando ou participando de comunidades. O consumidor deixa de ter aquela participação passiva no processo de consumo: hoje ele critica, elogia, recomenda e deseja fazer parte do processo de criação dos produtos. Os ciclos de feedbacks são intensos e on-lines.

 Nesse mundo em transformação, é possível ver os negócios que já nascem digitais e para esses a comunicação em rede com seus clientes é algo natural. Mas também é possível perceber empresas tradicionais se transformando e mudando seu modo de ser aproveitando a digitalização para transformar os seus negócios.

A transformação digital nos negócios não acontece somente na relação com os clientes, conforme discorremos, mas em todos os ambientes das empresas, sejam internos ou externos. Todos as áreas das empresas estão sendo impactadas, do financeiro a engenharia de produto, passando pela produção e logística.

E por falar em transformação digital, você já leu o Whitepaper “Transformação Digital na Gestão Financeira” da Wiipo?Esse é um material completo com tudo que precisa saber para otimizar e aplicar na sua empresa. 

Anderson Torres, Product Manager da Wiipo