Proteção financeira: já ouviu falar?

A pandemia da COVID-19 nos mostrou como é fundamental sempre termos dinheiro extra para situações inesperadas. Afinal, constante e infelizmente estamos correndo o risco de sofrer algum acidente, perder o emprego ou, até mesmo, falecer.

Quando temos uma família, essas questões merecem atenção redobrada, tendo em vista que temos outras pessoas dependendo de nós. Portanto, ter uma proteção financeira é essencial para manter você e seus familiares seguros em momentos de instabilidade.

Para ajudar você nessa missão, compilamos neste texto as explicações sobre o que é proteção financeira, sua importância e duas sugestões de investimentos que podem auxiliá-lo a criar uma! Confira.

O que é proteção financeira?

A proteção financeira corresponde a diversas medidas que visam a reduzir o risco de perda do patrimônio empresarial ou familiar. Se você possuir uma dívida, por exemplo, o seguro de proteção financeira poderá quitá-la em caso de perda de emprego (CLT), morte ou invalidez.

Portanto, essas ações de validade legal conseguem garantir que seu patrimônio não seja atingido em momentos de dificuldade, como os mencionados acima. Os seguros que compõem a proteção financeira são, principalmente: Seguro de Vida Resgatável, Diária de Incapacidade Temporária e Seguro de Responsabilidade Civil.

01.Seguro de Vida Resgatável

O Seguro de Vida Resgatável é parecido com o tradicional Seguro de Vida, que explicaremos mais à frente no texto. No entanto, a maior diferença é que essa modalidade possibilita que o segurado recupere o valor investido, devidamente corrigido, caso não necessite mais da cobertura ou, simplesmente, deseje o dinheiro de volta.

Dessa forma, além de contar com as proteções que o produto oferece, é possível utilizá-lo como uma espécie de reserva financeira, tendo acesso à quantia sempre que necessário.

02.Diária de Incapacidade Temporária

O DIT (Diária por Incapacidade Temporária) é o seguro que proporciona ao segurado o pagamento dos proventos, em caso de ausência no trabalho por motivo de acidente ou doença. Assim, é possível se recuperar tranquilamente, sem se preocupar com as despesas.

Normalmente, o DIT é escolhido por profissionais liberais. Porém, ele é recomendado para qualquer pessoa que possua renda e não deseja ser afetado financeiramente em caso de incapacidade temporária. 

03. Seguro de Responsabilidade Civil

O Seguro de Responsabilidade Civil tem o objetivo de garantir o reembolso ao segurado por danos corporais ou materiais, causados de forma não intencional a terceiros. Dessa forma, garante-se a proteção financeira.

Proteção Financeira Familiar

Como citamos anteriormente, a proteção financeira pode ser utilizada tanto por empresas, quanto por pessoas físicas. Nesse texto, nosso foco é na Proteção Financeira Familiar, tendo em vista que um dos nossos maiores objetivos é ensinar educação financeira a você e como aplicá-la na sua vida.

A seguir, mostraremos dois produtos que podem proporcionar segurança financeira para você e sua família.

01. Seguro de Vida

No tópico anterior, comentamos sobre o Seguro de Vida Resgatável, que é um dos itens mais comuns dentro da proteção financeira. Mas afinal, você sabe o que é o Seguro de Vida?

De forma geral, ele prevê o pagamento do capital aos beneficiários em caso de morte do contratante. Assim, caso ocorra essa ausência inesperada, será pago à sua família, ou àquele que você nomeou como beneficiário, um valor pré-determinado no momento da contratação.

Apesar de não gerar lucro, o Seguro de Vida pode ser considerado um ótimo investimento para a sua proteção financeira familiar, tendo em vista que permite a realização de um planejamento financeiro e garante a estabilidade de que sua família necessita.

Além disso, o Seguro de Vida também pode responsabilizar-se por cobrir indenizações que não sejam apenas de falecimento. Dessa forma, é possível adaptá-lo de acordo com as suas necessidades. Algumas coberturas adicionais são: despesas médicas e hospitalares; despesas odontológicas; doenças graves; entre outras.

Recomenda-se que a família possua uma proteção de 10 a 15 vezes o valor do rendimento familiar. Além disso, o ideal seria estipular uma meta para incentivá-lo a guardar o dinheiro. Como por exemplo, guardar a quantia necessária para pagar os estudos dos filhos.

Entretanto, existem casos em que não é necessário um valor tão elevado assim como, por exemplo, indivíduos com filhos já independentes, pessoas idosas ou viúvas. E lembre-se de que também existe a modalidade resgatável, em que você pode recuperar o valor investido quando desejar.

02. Previdência privada

É muito comum encontrarmos pessoas que utilizam o investimento em previdência privada como forma de complementar a previdência social. Por esse motivo, também é conhecida como aposentadoria particular, pois não possui nenhuma ligação com a fornecida pelo governo por meio do INSS.

No entanto, também é possível utilizá-lo como forma de guardar dinheiro para objetivos de longo prazo, como comprar um imóvel ou pagar o estudo dos filhos.

Nesse tipo de investimento, as seguradoras oferecem os planos de previdência em que é possível saber qual a quantia mensal que você deve reservar até atingir seu objetivo. Essa projeção é realizada com base na expectativa de vida dos brasileiros, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), bem como as projeções de taxas de juros do mercado no ano seguinte.

Assim, se você deseja se aposentar daqui a 20 anos, conseguirá realizar uma estimativa de quanto precisará contribuir até alcançar a quantia que considera ideal.

Existem duas modalidades de previdência privada: fechada e aberta. A primeira opção é oferecida pela empresa aos seus funcionários, já a segunda alternativa está disponível para qualquer pessoa em bancos ou corretoras.

A aposentadoria complementar aberta divide-se em dois grupos: PGBL (Plano Gerador de Benefícios Livres) e VGBL (Vida Gerador de Benefícios Livres). O primeiro permite abater as aplicações na declaração anual completa do Imposto de Renda, ou seja, você recebe de volta o dinheiro que pagou de imposto ao longo do ano.

Já o VGBL não permite dedução no Imposto de Renda, por isso é recomendado para quem faz a declaração simplificada. Uma vantagem é que o desconto do Imposto de Renda é feito sobre os rendimentos, ou seja, o valor que você depositou e as contribuições ficam livres do desconto.

A previdência privada é uma excelente opção se você pretende poupar dinheiro para o futuro, mas não possui muito controle sobre as finanças. Afinal, você será obrigado a realizar o pagamento mensalmente. Além disso, se você for o titular da conta e vier a falecer, os valores acumulados serão automaticamente repassados ao  beneficiário. Assim, você garante que sua família ou filhos tenham estabilidade financeira, mesmo após sua morte.

Após esse texto, esperamos que você comece a se planejar para criar sua própria proteção financeira. 

Se ficou com alguma dúvida, estamos aqui! 🙂